domingo, 18 de junho de 2017

Não falar tanto nele?








Não falar tanto nele?
Mãe Lola, 13.06.2017

Não falar tanto nele?

Me faz bem falar
Me faz bem lembrar
E compartilhar
A saudade do filho

Ela se despedaça
E tu me ajudas
A carregar um pedaço

Faço assim
Para dar conta de mim
Para acalmar

Falar
É meu calmante
É meu socorro.

Socorro!!
Se eu não falar
Eu também morro!!

23 comentários:

  1. Há que falar e colocar pra forra o que vai no coração de mãe! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Um poema cheio de saudade... Deus traz forças novas e direção para nossos sentimentos tão doloridos.
    Obrigada pelo comentário no Fragmentos Poéticos.
    Muita paz e um abraço

    ResponderExcluir
  3. Querida Lola, nosso blog é nosso diário, quase sempre postamos nele o que somos, o que sentimos, o que pensamos. Por que não dar vazão ao seu coração? Converse com 'ele', sim! Tenho certeza que as mães sabem disso, mãe é tudo igual - e esse provérbio está mais do que certo!
    Beijo, querida. Uma feliz semana.

    ResponderExcluir
  4. ... Que fale, poetize, alegre-se cada dia mais, para que a dor sejam plumas!...
    Estaremos aqui, a carregar uma pedrinha por vez e abraçá-la!

    Beijos! =)

    ResponderExcluir
  5. Antes de mais nada e acima de tudo que tenhamos a nossa liberdade de sentir e agir devidamente preservada e por isso me permito à liberdade de também convidá-la a conhecer a nossa www.hellowebradio.com ... você.Vem!

    ResponderExcluir
  6. Cara amiga Lourani, falar do filho que partiu faz bem, porque abrir o coração faz. Sei disso, pois faz tempo que meu filho partiu, e, às vezes, me pego falando, em silêncio, com ele. Com o tempo, vem o alívio, mas a saudade é eterna.
    Um abração. Tenhas uma semana abençoada.

    ResponderExcluir
  7. Falar faz bem e quando em forma de poesia, então é mais reconfortante ainda!
    Bj

    ResponderExcluir
  8. Louriani,
    Eu perdi meu pai adotivo , ele tinha 82 anos e lhe fiz uma poesia

    Acróstico
    M ãos calejadas, suadas, honradas,
    A tadas à família, a Deus, ao trabalho,
    R espeitadas, doadas, emprestadas,
    T imbradas pelo tempo, arranhadas pela
    I ncansável batalha,
    M arcadas, cansadas

    R abiscadas pelas fendas da cidade,
    E mpobrecidas por falta de atividade
    I gnoradas por algumas autoridades
    T inhas na honestidade,
    A marguradas pela perda de seu “amor”
    N ão suportaram
    O flagelo da solidão, faleceram
    De sua filha Dorli

    Ele tinha 82 anos , nunca ficou doente, morreu de saudade da sua mulher que morreu havia quatro meses.
    Sofri por muitos anos a sua falta, agora ficou uma saudade gostosa.
    Você não me disse do que ele morreu.
    Força
    Procure não pensar e nem escrever sobre ele, você manda na sua mente.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  9. Lourani,
    Um encantos os seus
    versos.
    Na verdade sem Poesia
    Eu também Morro!
    Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  10. Pode falar, nós estaremos aqui para ler e dividir contigo as suas saudades.

    Fale-nos dos momentos inesquecíveis, das vitórias e experiências que viveram juntos.

    Vocês são lindos.

    ResponderExcluir
  11. Saudade eternizada em versos e poesias é algo maravilhoso.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  12. Olá Lourani, fico com o coração dorido ao ler seus versos sobre a partida do filho. Que Deus lhe conforte amiga,
    Bjs!

    ResponderExcluir
  13. Olá Lola.
    Um belo poema lembrando o filho, um modo que encontraste para amenizar a saudade e a dor.
    Um abraço.
    Pedro

    ResponderExcluir
  14. Oi, Lola, acho importante lembrar e relembrar...ameniza a separação e revive em nossa alma onde permanecerá para sempre.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  15. Falar, sentir, também acredito que falando dá a sensação de aliviar a dor!
    Senti a dor da perda dos meus pais, mas nem posso imaginar o tamanho da sua dor, pois creio que seja a dor mais doída que existe, somente o tempo para aplacar!
    Abraços bem apertados minha querida amiga!

    ResponderExcluir
  16. Versos muito comoventes...
    Mas sim, minha amiga, faz bem falar.
    Guardar só para si a angústia que vai na alma... sufoca.
    Desabafar alivia.

    Dias mais calmos e tranquilos te desejo.

    Bom Fim-de-semana
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
  17. Não há pessoas iguais. Uns preferem calar, outros não. Mas eu penso que quanto mais se falar melhor se convive com a dor.
    Gostei do seu poema. muito sentido.
    Bom fim de semana, amiga Lourani.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  18. Faz bem falar... Não há razão para calar a dor... se falar sobre ela, nos ajuda a aceitar, e a melhor compreender, o que não podemos mudar...
    Palavras sentidas e comoventes... que fazem todo o sentido, Lola... por ser a sua melhor forma de lidar com a sua perda, agora... ainda que quem trazemos no coração, esteja sempre connosco...
    Um beijinho grande! E muita força!
    Uma boa semana, na medida do possível!
    Ana

    ResponderExcluir
  19. Obrigada pela visita, gostei do seu blogue e do poema, bjs

    ResponderExcluir
  20. É bom falar e desabafar o que está sentindo Lola,esse sentimento é muito doloroso,mas acalmará o seu coração tão partido.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  21. Olá Lola!
    Entrei no seu blogue para lhe agradecer ter passado, e comentado, no meu "roldeleituras" e encontrei-me com um
    poema lindo e dolorido.
    Lola, chorar, lembrar, falar, escrever, ajuda a suportar a dor.
    Às vezes, a vida faz-nos coisas terríveis. Algumas, jamais se esquecem. É assim!
    Vou voltar aqui.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  22. Boa noite Lola querida!
    Meu pai sempre me falava:"escreva quando estiver triste, alegre ou quando a saudade apertar, pois este escrever alivia o coração". E é verdade alivia mesmo. Beijinhos em seu coração e fique com Deus e grata por sua doce visita.

    ResponderExcluir
  23. É que falar faz bem!!! Bj e fazer poesia
    ... ainda mais!!!

    ResponderExcluir

Oiiii! Que bom que estás aqui comigo. Valeu!

Oiiii! Que bom que estás aqui comigo. Valeu!
Muito obrigada pela visita. Volta!